Porciúncula já foi uma cidade mais tranquila e segura. O que está acontecendo com a nossa segurança e a ordem pública?

 

2016-10-31_13-14-43_1Foi-se o tempo em que a tranquilidade era uma característica das cidades do interior.

Há alguns anos que as coisas já não são mais assim.

Em Porciúncula, por exemplo, são inúmeros os casos de furtos, em comparação a outros tempos. A transeuntes, por enquanto, só em Itaperuna parece que as coisas estão mais adiantadas em relação a este tipo de crime.

Apesar da segurança pública não ser uma responsabilidade direta do município, é impossível desprezar o tema.

O recomendável seria uma ação enquanto a situação, aparentemente, continua sob controle. Assim como em outros municípios, a prefeitura de Porciúncula não poderá se esquivar por muito tempo deste debate.

Em breve, terá que participar mais objetivamente das  discussões. Avaliar, em conjunto com a Polícia Militar do Estado e o Ministério Público, ações compartilhadas e possíveis e a administrativamente, considerar a possibilidade de criar um órgão, a exemplo das Guardas Municipais, para ampliar o efetivo de agentes nas ruas da cidade.

Uma das atribuições das Guardas Municipais são a  proteção do patrimônio público e a preservação da ordem pública. Mais agentes capacitados para circular pela cidade inibindo furtos e outros crimes, apenas pela presença ostensiva.

As dificuldades fiscais do momento colocariam este tema em segundo ou terceiro plano, certamente, mas nada impede que a gestão municipal organize comitês de discussões, com representantes dos três poderes, do Ministério Público, Conselho Tutelar, Defensoria Pública, Igrejas e organizações da sociedade civil para debaterem sobre este tema.

Desejamos que a nossa cidade volte a ser mais tranquila e segura!

Quais são as potencialidades econômicas de Porciúncula?

As pessoas sempre me perguntam qual o futuro do Município de Porciúncula. Eu sempre respondo que ele está relacionado à agricultura e ao turismo. Duas áreas que estão fortemente enraizadas na tradição econômica não apenas da sede, mas também dos nossos distritos: Purilândia e Santa Clara.

A agricultura e turismo impulsionariam a geração de renda no interior, contribuiria para o fortalecimento do comércio e do setor de prestação de serviços.

Porciúncula tem terra quente e terra fria. A diversidade de culturas agrícolas é formidável. Aliás, falei disso no livro O Prefeito Progressista. Sob a ótica econômica com foco no turismo, os potenciais também são imensos: turismo de aventura, religioso, de saúde e rural. São alguns dos tipos de turismo que vejo com potencial imenso de exploração.

Tanto a agricultura quanto o turismo necessitam de planos de médio e longo prazos, com objetivos claros. É preciso um reconhecimento das potencialidades econômicas de Porciúncula, para que sejam estabelecidas metas a serem cumpridas pela administração. Planejar custa muito menos do que consertar os equívocos que são cometidos quando se direcionam recursos públicos para áreas de pouca relevância estratégica. As pessoas precisam ter mais oportunidades de trabalho dentro do município.

 

 

Contagem regressiva para o anúncio das mudanças!

O mês de março sinaliza o início efetivo e prático dos novos governos que assumiram as prefeituras em 01 de janeiro de 2017.

Os desafios são muitos, considerando a conjuntura econômica do país e no caso dos municípios fluminenses, a situação do Estado exige mais criatividade e prudência dos novos governos.

Cada caso é um caso. Não existe uma fórmula mágica para os temas locais. Espera-se, no entanto, que as novas prefeitas e prefeitos tenham em mente as promessas assumidas em campanha, que transcorreu exatamente no auge da crise política e econômica, diga-se de passagem, sem precedentes na história recente do Brasil.

A população aguarda por respostas, objetivas, que mexam com as causas dos problemas da administração municipal.

Não há mais como adiar. A paciência das pessoas tem limites.